Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Companhia apresenta investimentos em seminário de saneamento em Bento Gonçalves

Publicação:

O diretor de Expansão, Marcus Vinicius Caberlon, representou a Corsan no evento
O diretor de Expansão, Marcus Vinicius Caberlon, representou a Corsan no evento

A Corsan participou, nesta terça-feira (10), do seminário Estratégias de Gestão no Sistema Público de Saneamento – Um cenário de oportunidades. O evento ocorreu na Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves e foi promovido pela Famurs, com patrocínio da Corsan e do Governo do Estado e apoio da União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs).

O objetivo do encontro foi debater propostas de parcerias e tecnologias para o setor, bem como a relação com os municípios e com as demandas do novo Plano de Saneamento. Na abertura do evento, o diretor da Escola de Gestão Pública da Famurs, Márcio Biasi, destacou a importância de discutir os desafios do setor no Estado. “Esta série de seminários que estamos promovendo vai impulsionar os rumos do saneamento no Rio Grande do Sul, em uma parceria bastante frutífera entre Corsan e Famurs”.

O diretor de Expansão da Corsan, Marcus Vinicius Caberlon, apresentou o plano de investimentos da Corsan para o Estado. Destacou que, durante o ano de 2017, a Companhia investiu R$170 milhões em obras de esgotamento sanitário, o que resultou na disponibilização de mais 30 mil novas ligações e representou cerca de 200 mil habitantes a serem beneficiados. “Atualmente, a Corsan tem R$ 904,4 milhões contratados em obras de expansão. A meta para 2018 é investir R$ 1,25 bilhão, com recursos próprios e financiados”.

O dirigente ressaltou que a Companhia tem buscado construir uma relação positiva com as prefeituras, buscando discutir soluções para que os municípios possam evoluir na área do esgotamento sanitário. Salientou também que, se os moradores não efetuarem a ligação de seus imóveis à rede coletora, os investimentos em obras de esgoto perderão sua razão de existir. Para isso, frisou, são necessárias ações intensas de conscientização e educação ambiental.

O encontro contou com outros dois painelistas: o professor de engenharia Juliano Rodrigues Gimenez, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), e o engenheiro ambiental Walter Motta de Souza, da Divisão de Saneamento Ambiental da Fepam. Abordando a relação da humanidade com a gestão da água e do esgoto ao longo da história, Gimenez enfatizou que ainda há um acesso muito baixo da população mundial aos serviços de saneamento. “O enfrentamento desse déficit depende de medidas estruturais, relacionadas à execução de obras, e estruturantes, mais voltadas à gestão dos sistemas. Devem ser buscadas soluções efetivas por meio de tecnologia e gestão, com medidas como aplicação dos princípios da gestão por qualidade, planejamento, participação social e educação ambiental e sanitária”.

Souza explicou as etapas do licenciamento ambiental realizado pela Fepam para os sistemas de esgotamento sanitário. “O processo de licenciar um empreendimento como esse envolve análises sobre a viabilidade e os impactos de cada projeto. Trata-se de um procedimento necessário do ponto de vista legal e ambiental”.

Com mediação da coordenadora de comunicação da Câmara de Bento Gonçalves, Andréia Lara dos Santos, o encontro foi o oitavo do ciclo de 11 debates previstos, os quais estão ocorrendo em várias regiões do Estado. Também estiveram presentes autoridades municipais e funcionários da Corsan.

CORSAN